Prótese Ocular

As próteses oculares, diferentemente das conchas esclerais, tem mais de três milímetros de espessura corneana. Em geral, uma prótese ocular sob medida deve ser adaptada depois que o oftalmologista realiza uma cirurgia denominada enucleação ou uma cirurgia denominada evisceração.

A enucleação consiste na remoção do globo ocular. Geralmente é colocado um implante ocular para obter um adequado volume e mobilidade.

A outra técnica cirúrgica, denominada evisceração, consiste na extração do conteúdo do globo ocular (íris e humor vítreo), mantendo a esclera e em alguns casos a córnea. Neste tipo de cirurgias não se realiza o corte do nervo óptico e se coloca um implante ocular para manter um adequado volume e mobilidade.

Geralmente, depois da cirurgia ocular, o doutor colocará uma lente, denominada conformador ocular transparente, que ajudará a formar os fundos de saco e facilitará uma rápida cicatrização. Em ambas as técnicas cirúrgicas é recomendado um tempo pós-operatório de 5 a 6 semanas antes de iniciar a adaptação da prótese ocular para permitir uma correta cicatrização dos tecidos. Nesse lapso, se o paciente solicitar, é possível colocar uma prótese provisória para obter uma estética razoável antes de adaptar a prótese definitiva, sob medida e pintada à mão, diante do paciente.

Na adaptação de cada prótese ocular realizamos um delicado trabalho artesanal para alcançar a simetria palpebral e aperfeiçoar a estética final, levando em consideração os contornos e pregas palpebrais. Na parte interna, a prótese “copia” o contorno do implante ocular, maximizando assim a mobilidade da prótese ocular e tornando mais confortável o seu uso.

A cor também é trabalhada artesanalmente, copiando os detalhes de cada parte do olho: a coroa pupilar, o estroma e o limbo. Cada paciente é capacitado para que possa colocar e retirar sua lente com facilidade e para saber fazer sua limpeza e cuidado.